SILVA, Rosana Gonçalves da. AnElos ecopedagógicos entre a Complexidade e a Carta da Terra : invenções criativas no cotidiano escolar. 2016. 348 f., il. Tese (Doutorado em Educação)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

Title: AnElos ecopedagógicos entre a Complexidade e a Carta da Terra : invenções criativas no cotidiano escolar.

Author: SILVA, Rosana Gonçalves da

year: 2016

PhD thesis. Universidade de Brasilia-Biblioteca Central

Language: Portuguese

Download: 2016_RosanaGonçalvesdaSilva.pdf

 

 

Resumo

AnElos ecopedagógicos entre a Complexidade e a Carta da Terra: invenções criativas no cotidiano escolar apresenta uma ecoformação pesquisa desenvolvida com professoras e crianças, em uma escola pública de ensino fundamental situada em Brasília –Distrito Federal, Brasil. O objetivo foi desenvolver um processo formativo interativo baseado na Linguagem Poética e na Ecologia Humana, no Pensamento Complexo e nos princípios da Carta da Terra junto a professores e estudantes dos anos iniciais, na faixa etária de 04 a 12 anos. Na ecoformação pesquisa consideramos a Escola como um nicho ecológico local e, portanto, um ecossistema capaz de reorganizar os tempos/espaços da aprendizagem coletiva. A ecoformação facilitou a mobilização dos co-autores da pesquisa para identificação dos pontos fortes do ambiente natural/construído da escola e a adoção de uma atitude de cuidado um com o outro e com o ambiente. Foram utilizadas estratégias pedagógicas em Educação Ambiental baseadas nos pressupostos da transdisciplinaridade e da transversalidade. Estas estratégias possibilitaram criar coletivamente um espaço educador sustentável, bem como um processo intersubjetivo de produção de conhecimento enraizado na experiência e construído de forma cooperativa, afetiva e lúdica. A experiência estética favoreceu um ambiente relacional, em que as relações interpessoais evidenciam um constante diálogo entre uma atitude criativa e ética, a partir da valorização das experiências cotidianas na escola. A partir do conhecimento vivencial da Carta da Terra foi instalado um processo de conscientização e reflexão sobre os espaços educativos, considerando a noção de cuidado como forma humana de sustentação da vida e o agir local para pensar o agir global. Esse processo culminou com a elaboração coletiva do Projeto Político Pedagógico da escola, referente ao período 2014/2015, que foi submetido à Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal – Brasil, em que a escola se manifesta comprometida com os princípios da Carta da Terra como referencial teórico/filosófico para a promoção da uma educação sustentável. O diferencial da ecoformação pesquisa foi a participação das crianças em um aprendizado vivencial da Carta da Terra por meio de experiências e reflexões relacionadas e enraizadas na realidade contextual das crianças. No âmbito da pesquisa, a formação humana foi compreendida como prática social intersubjetiva e a prática pedagógica desenrolou-se em um campo de interações entre sujeitos, ambientes, interesses contraditórios e seus contextos histórico-sociais. A ecoformação oportunizou a transversalização de conteúdos do currículo escolar e trouxe significativos resultados pelos saberes construídos, considerando que a integridade ecológica é um saber que se compreende em qualquer idade; que justiça social e econômica é um saber que deve fazer parte do currículo desde a educação infantil; e que democracia e cultura de paz são saberes que podemos viver diariamente.

Abstrat: 

AnElos (The study) Eco-pedagogical Expectations between Complexity and the Earth Charter: creative inventions in daily school, presents an eco-formation research conducted with teachers and children in an elementary public school located in Brasilia – Federal District, Brazil. The goal was to develop an interactive learning process based upon the Poetic Language and Human Ecology, in Complex Thought and the principles of the Earth Charter with teachers and students in the04 -12 years age group. In eco-formation research we consider the school as a local ecological niche, thus an ecosystem capable of reorganizing the time/space of collective learning. The eco-formation facilitated the mobilization of co-authors of the study by identifying the strength of natural/built school environments and the adoption of a care attitude towards each other and the environment pedagogical strategies in environmental education based on the assumptions of transdisciplinary and transversality were used. These strategies allowed the collective creation of a sustainable learning space as well as an inter-subjective process of knowledge production rooted in experience and built within a cooperative, affectionate and playful way. The aesthetic experience favored a relational environment where interpersonal relationships show a constant dialogue between a creative attitude and ethics, emerged from the prizing of everyday experiences at school. From the experiential knowledge of the Earth Charter a process of awareness and reflection on the educational spaces was established, considering the notion of care as a human way of supporting life and the local action to think in global action. This process culminated in the collective development of the school’s Pedagogical Political Project for the period 2014/2015, which was submitted to the State Department of Education of the Federal District -Brazil, where the school manifests its commitment with the principles of the Earth Charter as a theoretical/philosophical framework for the promotion of sustainable education. What distinguished the eco-formation research was the participation of children in an experiential learning of the Earth Charter through activities and reflections rooted and related with the contextual reality of the own children. Under the research, human development was understood as inter-subjective social practice and the teaching practice unfolded in a field of interactions between subjects, environments, conflicting interests and their historical and social contexts. The eco-formation provided an opportunity to place the curriculum content into the transversal thinking and brought significant results in built knowledge, considering that ecological integrity is a knowledge that is understood at any age; that social and economic justice is a knowledge that should be part of the curriculum from early childhood education; and, democracy and culture of peace are knowledge that we live daily.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s